Substitutos

Alguns exemplos de substitutos incluem restringir-se a revistas pornô, imagens estáticas online, “dietas pornográficas”, etc. Não use nenhuma dessas coisas. Elas tornam o processo mais difícil, não mais fácil. Se vocẽ sente a fissura e usa um substituto ele só vai prolongar a fissura, tornando-a mais dolorosa. O que você está afirmando pra si mesmo ao fazer esse tipo de coisa é que você precisa de pornografia pra preencher o vazio. Seria como dobrar-se diante da pirraça de uma criança. Isso só faz com que as fissuras continuem vindo e prolongando a tortura. Em qualquer caso, usar substitutos não aliviará as fissuras. Seu anseio é por compostos químicos no cérebro. Tudo o que isso fará é manter você pensando em pornografia. Lembre-se do seguinte:

  1. Não há nenhum substituto para o pornô.
  2. Você não precisa de pornô. Não é como um alimento. É veneno. Quando as fissuras vierem, lembre-se de que são os usuários que sofrem de sintomas de abstinência, e não os não-usuários. Enxergue-as como elas são: mais um dos males da droga. Enxergue-as como algo que enuncia a morte de um monstro.
  3. É o pornô que cria o vazio. Ele não o preenche. Quanto mais rápido você ensinar ao seu cérebro de que você não precisa assistir, mais cedo você se verá livre. Evite, particularmente, tudo o que se assemelha a pornografia, tal como revistas eróticas, filmes, histórias românticas e comerciais. Isso não é ter a mente fechada: tudo bem falar sobre romance e sexo, mas não é o caso com a pornografia. Sempre há um jeito de encontrar quando e onde discriminar. É verdade que uma pequena proporção dos usuários que tentam largar o vício usando pornô softcore ou dietas de pornografia de fato têm sucesso (a partir de suas próprias perspectivas) e atribuem seus sucessos a esse tipo de uso. Entretanto, eles largam o vício a despeito desse uso e não por causa dele. É um fato infeliz que ainda se recomendem tais medidas.

Isso não é surpreendente porque, se você não compreende completamente a armadilha que subjaz na pornografia, uma dieta ou substitutos mais leves soam como algo bastante lógico. Isso se baseia na crença de que quando você visa se desvencilhar do pornô, você tem dois inimigos a vencer:

  • Largar o mau hábito.
  • Sobreviver as terríveis fissuras de abstinência.

Se você tem dois inimigos terríveis para vencer, faz sentido não combatê-los ao mesmo tempo mas sim um de cada vez. Essa teoria implica que quando você para de usar pornografia, você deve diminuir a frequência do uso para uma vez por semana ou usar só “pornografia segura”. Uma vez que o hábito tiver sido desfeito, gradualmente se reduz a oferta, e dessa forma se combate esses inimigos separadamente.

Isso faz sentido lógico mas é baseado em informação incorreta. A pornografia não é um hábito, mas um vício em dopamina, e a dor física que vem com a abstinência é quase imperceptível. O que você está tentando alcançar quando você procura largar o vício é matar ambos os monstros no seu corpo e no seu cérebro o mais rápido o possível. Tudo o que essas técnicas de substituição fazem é prolongar a vida do pequeno monstro, o que por sua vez prolonga a lavagem cerebral. O Método Fácil torna o processo de largar o hábito imediatamente algo fácil, eliminando a lavagem cerebral antes da sua última sessão. O pequeno monstro logo estará morto, e até mesmo quando estiver morrendo, não será um problema maior do que era quando você era um usuário.

Apenas pense: como é que se pode recomendar que se cure um vício prescrevendo o uso da mesma droga em que se está viciado? Há muitas histórias na Internet sobre aqueles que largaram o “pornô hardcore”, mas que continuam viciados em “pornô softcore”, tendo caído na lábia das justificativas criadas pelo pequeno monstro. Não se deixe enganar pela ideia de que pornô “leve” não é ruim: a mesma lógica foi usada no início criar esse hábito que agora se quer largar. Todos os substitutos têm exatamente o mesmo efeito que qualquer outra espécie de pornografia. Alguns até tentam compensar o desejo por pornografia com comida, mas apesar de que a sensação de vazio associada com querer assistir pornô ser indistinguível do desejo de comer, saciar um não irá satisfazer o outro. Na verdade, se tem algo que é provável de fazer uma pessoa querer assistir pornografia, essa coisa é se empanturrar de comida. Como foi previamente exposto, dietas pornográficas e pornô “leve” só vão te colocar no meio de um cabo de guerra, com a resistência à tentação se mostrando tão irritante que você sentirá alívio ao visitar seu harém online favorito.