Devo Evitar Situações Tentadoras?

O conselho tem sido direto até então e buscou orientá-lo a tratar tudo o que está aqui como instruções em vez de sugestões. Há razões práticas e sólidas para estes conselhos e estas razões são corroboradas por milhares de estudos de casos. No que tange a ideia de evitar ou não a tentação, esse não é o caso. Cada usuário deverá decidir por si próprio. Entretanto, duas sugestões podem ser feitas para ajudá-lo a passar por este processo. É o medo de fissuras futuras que nos mantém usando pornografia pelo resto de nossas vidas e esse medo consiste em duas fazes distintas.

Primeira Fase - Como é que eu vou sobreviver sem pornografia?

Esse medo vem daquele sentimento cheio de pânico que o usuário sente quando eles estão solteiros ou têm um parceiro assexual, desinteressado ou indisponível. O medo não é causado pelas fissuras de abstinência, mas sim pelo medo da dependência. Ele atinge os seus níveis mais altos quando o usuário está prestes a largar de vez, que é quando as fissuras de abstinência estão no seu momento de maior fraqueza e de maior escassez. É o medo do desconhecido, o tipo de medo que as pessoas têm quando elas estão aprendendo a mergulhar.

A prancha de mergulho está a trinta centímetros de distância da água mas aparenta estar a quase dois metros. A água tem dois metros de profundidade mas aparenta ter trinta centímetros. É necessário ter coragem para mergulhar, ainda mais quando as aparências indicam que ao fazê-lo você vai quebrar a sua cabeça. Mergulhar é a parte mais difícil: se você tem coragem pra fazer isso então o resto é fácil! Isso explica por quê tantos usuários com grande força de vontade tentaram parar, ou por que eles só aguentam alguns dias quando eles param. De fato, há alguns usuários em dietas pornográficas que, quando decidem parar, acabam consumindo pornografia compulsivamente e passam a assistir a vídeos mais extremos mais rápido do que se eles não tivessem decidido parar. Essa decisão causa pânico, o que é estressante e aciona o gatilho que os leva a querer visitar o harém. Mas agora que ele não pode ir ao harém, ele têm sentimentos de privação e o estresse parece só estar empilhando.

Esse gatilho se ativa rapidamente quando o fusível estoura e o usuário abre o navegador. Não se preocupe, o pânico é só psicológico. Ele é um reflexo do medo de estar dependente. A verdade é que você não está dependente, mesmo quando viciado. Não entre em pânico. Mergulhe.

Segunda Fase - O Medo de Longo Prazo

A segunda fase se dá a longo prazo, e envolve medo de que certas situações no futuro não serão agradáveis ou que você não conseguirá lidar com traumas e outras fontes de estresse sem pornografia. Não se preocupe. Se você ousar mergulhar você verá que o verdadeiro é justamente o oposto. A evitação da tentação em si mesma toma duas formas distintas:

  1. Eu vou adotar uma dieta de pornografia de uma vez a cada quatro dias. Eu vou me sentir mais confiante sabendo que se ficar difícil eu posso assistir. Tudo bem se eu falhar, é só eu adicionar mais dias ao próximo ciclo.

A taxa de fracasso entre as pessoas que fazem isso é muito maior do que daqueles que estão se desvencilhando desse vício por completo. Isso se dá principalmente devido ao fato de que se você está tendo uma momento difícil durante o período de abstinência, é fácil abrir o navegador e ir até o harém, apoiado pelas desculpas citadas acima. Se você tem a indignidade de descaradamente quebrar suas próprias regras você tem maior probabilidade de superar a tentação. Em todo caso, a fissura passaria se você simplesmente a adiasse. Entretanto, a razão principal para o alto índice de fracasso em casos como este é que o usuário não se sentiu totalmente comprometido com a ideia de parar na hora de começar. Lembre-se de que os dois fatores essenciais para ter sucesso neste processo são:

  • Certeza
  • Pensar: “não é maravilhoso saber que eu não preciso mais de pornografia?

Em todo caso, por que diabos você precisaria de uma sessão de pornografia? Se você ainda acha que precisa de uma visita, releia este livro primeiro. Algo não se fixou na sua mente. Tome o tempo que for necessário para matar o monstro que faz essa lavagem cerebral na sua mente.

  1. Devo evitar situações estressantes ou ocasiões sociais durante o período de abstinência?

No caso de situações estressantes, sim. Não há nenhum sentido em se colocar sob maior pressão do que o necessário. No caso de eventos sociais, como bares ou boates, o conselho é o oposto: saia de casa e vá aproveitar a vida. Você não precisa fazer sexo ou ter um orgasmo até mesmo quando você está viciado em pornografia. Saia e regozije no fato de que você não precisa fazer sexo ou ter um orgasmo. O que isso fará por você é te ajudar a perceber mais rápido que a vida é melhor sem a pressão da obrigação de ter esses dois sempre presentes no seu dia a dia. Apenas pense o quão melhor sua vida vai ser quando o pequeno monstro tiver ido embora de vez, junto com esses pensamentos repletos de carência.