A Última Visita

Tendo decidido o dia e o horário, você está pronto para a sua última visita ao harém virtual. Antes que você o faça, entretanto, preste atenção em duas coisas essenciais:

  1. Você se sente certo de que terá sucesso?
  2. Você tem um sentimento de tristeza e desespero, ou um sentimento de excitação e entusiasmo, de que você está prestes a alcançar algo maravilhoso?

Se você tem alguma dúvida, releia o livro primeiro. Lembre-se que você nunca escolheu cair na armadilha da pornografia, mas sim que a pornografia é feita para manter você escravizado por toda a vida. Para conseguir escapar disso, é necessário tomar a decisão positiva de que você prestes a parar e fazer sua última visita.

Lembre-se, a única razão pela qual você leu esse livro até aqui é porque você sente o desejo sincero de parar. Então tome essa decisão positiva agora: faça um voto solene de que quando você fechar a aba anônima do seu navegador, sendo fácil ou difícil, essa terá sido sua última visita. Você não visitará o harém nunca mais. Talvez você esteja preocupado por ter feito esse voto diversas outras vezes no passado e falhado em cumpri-lo, ou que você terá de lidar com algum trauma terrível. Não tenha medo, a pior coisa que pode acontecer é você falhar, então saiba que você não tem absolutamente nada a perder e muito, muito a ganhar.

Mas pare até mesmo de pensar na possibilidade de fracassar. A verdade é que não é só ridiculamente fácil largar, como você pode até mesmo gostar do processo. Desta vez você vai usar O Método Fácil! Tudo o que você precisa fazer é seguir as simples instruções prestes a serem dadas:

  1. Faça agora um voto solene de que irá parar e seja sincero enquanto o faz.
  2. Navegue pelas imagens e vídeos no seu site de vídeos pornográficos favorito, prestando atenção nas tentativas desesperadas dos administradores do site, atores e até mesmo amadores de amplificar a sensação de choque, novidade e superestímulo no conteúdo que eles publicam e pergunte a si mesmo onde é que está o prazer nisso.
  3. Quando você finalmente fechar o navegador, não o faça com um sentimento de “eu tenho que nunca mais visitar um site pornográfico na minha vida” ou “não me é permitido visitar outro site”, mas em vez disso encare a situação com um sentimento de liberdade, como “*não é ótimo? Eu não sou mais um escravo da pornografia! Eu não preciso nunca mais mais visitar esses sites imundos”.
  4. Esteja atento para o fato de que por alguns dias haverá um pequeno sabotador dentro de você. Você pode estar consciente do sentimento de querer mais uma sessão. O pequeno monstro já foi descrito como uma leve ânsia física por dopamina. Estritamente falando, isso é incorreto, e é importante entender o porquê. Por causa do fato de que leva até três semanas para o pequeno monstro morrer, ex-usuários acreditam que o pequeno monstro continuará sua ânsia por uma nova visita ao harém, e que então eles precisam usar da força de vontade para resistir à tentação durante esse período. Esse não é o caso. O corpo não anseia pelo prazer oriundo da pornografia. Só a mente que faz isso.

Se você sentir a sensação de querer dar uma olhadinha pelos próximos dias, seu cérebro tem uma escolha simples a fazer: ele pode interpretar esse sentimento como aquilo que ele de fato é – um sentimento vazio, inseguro, que começou com a primeira visita a um site pornô e foi perpetuada por cada visita subsequente, e dizer a si mesmo, “não é ótimo não ser mais um usuário?”

… ou você pode começar a sentir a fissura pela pornografia e sofrer pelo que resta da sua vida. Pense por um instante: essa não seria uma coisa estúpida a se fazer? Dizer a si mesmo, “eu não quero assistir pornô nunca mais” e então passar o resto da sua vida pensando “eu adoraria poder fazer uma visitinha a um site pornô”? É isso que aqueles que param usando o método da força de vontade fazem, e não é de se admirar que eles se sintam tão péssimos. Passar o resto de suas vidas desesperadamente se lamentando por algo que eles desesperadamente esperam nunca ter. Não é de admirar que tão poucos consigam o que querem e os poucos que de fato conseguem nunca se sentem completamente livres.

‘Que isso fique bem claro na sua mente, pois pode ser de grande utilidade para superar o poder que estímulos externos podem ter em te perturbar: imagine-se sentado, quietamente, deixando o telefone tocar, ignorando seu sinal, não influenciado pelo som que ele faz. Apesar de você estar consciente dele, você não mais se importa ou obedece a ele. Ademais, entenda muito bem o fato de que o sinal externo não possui nenhum poder sobre você, nenhuma capacidade de influenciar suas ações. No passado você obedeceu a ele, respondeu a ele, puramente por conta do hábito. Você pode, se você quiser, formar o novo hábito de não mais responder ao sinal.

Perceba também que abster-se de responder ao sinal não significa fazer alguma coisa, ou esforçar-se de algum modo, ou resistir ou lutar, mas em fazer nada — em abster-se, em relaxar-se do fazer. Você meramente relaxa, ignora o sinal e deixa que suas demandas sigam insatisfeitas. O telefone tocando é uma analogia simbólica para qualquer outro estímulo para o qual você pode, por hábito, ter cedido o controle, e que agora tem o poder de intencionalmente alterar o hábito em questão.

— Maxwell Maltz, “The New Psycho-Cybernetics”, Ch. 12.

O que torna o processo de largar o hábito difícil é ficar duvidando e esperando, então nunca duvide da sua decisão. Você sabe que ela é a decisão correta. Se você começar a duvidar, você vai se colocar numa situação impossível de ganhar, sentindo-se terrível por desejar consumir pornografia mas não poder fazê-lo. Não importa que sistema você esteja usando, qual é o seu objetivo em parar de assistir pornografia? Nunca mais assistir? Não! Muitos ex-usuários fazem isso mas passam o resto de suas vidas se sentindo privados.

Qual a diferença entre usuários e não-usuários? Não-usuários não têm nenhuma necessidade, nenhum desejo de assistir pornografia. Eles não têm ânsia ou fissura, e não precisam fazer uso da força de vontade para se abster de assistir a pornografia. É isso que você está tentando alcançar e está completamente dentro das suas capacidades que você o faça. Você não tem que esperar parar de ansiar por pornografia ou esperar torna-se um não-usuário: isso já está feito no momento em que você fecha aquela última aba de pornografia no seu navegador, cortando completamente a fonte de dopamina que vem dela: você já é um feliz e bem-sucedido não-usuário!

E você se manterá um feliz e bem-sucedido não-usuário desde que:

  1. Você nunca duvide da sua decisão.
  2. Você não espere tornar-se um não-usuário. Se você o fizer, você estará simplesmente esperando por algo que simplesmente não acontece, e e criará uma fobia.
  3. Você não tente não pensar sobre pornografia, nem espere pela ‘hora da revelação’. Isso apenas criaria uma fobia.
  4. Você não use substitutos.
  5. Você veja todos os usuários tais como eles são e sinta pena deles em vez de invejá-los.

Seja em dias bons ou dias ruins, não mude sua vida só porque você largou o vício. Se você o fizer, você estará fazendo um verdadeiro sacrifício quando não tem nenhuma necessidade de fazer. Lembre-se, você não está se desfazendo de absolutamente nada. Pelo contrário, você se curou de uma terrível doença e escapou de uma prisão traiçoeira. Na medida em que os dias passam e sua saúde, tanto física quanto mental, melhora, os altos parecerão mais altos e os baixos parecerão menos baixos do que quando você era um usuário. Sempre que você pensar sobre pornografia durante os próximos dias ou pelo resto da sua vida, pense:

“COMO É BOM ESTAR LIVRE DESSE VÍCIO”

Um Último Aviso

Nenhum usuário, tendo a chance de voltar atrás para antes de terem se viciado com o conhecimento que eles têm agora, escolheria usar de novo. Dezenas de milhares que pessoas que se livram desse vício conseguem levar vidas perfeitamente felizes, para então tornarem a se viciar novamente. Eu acredito que este livro te ajudará a achar o processo de parar relativamente fácil. Mas esteja atento: usuários que acham fácil parar também acham fácil recomeçar. Não caia nesta armadilha.

Não importa por quanto tempo você parou ou o quão confiante você está de que você nunca mais se viciará novamente, faça disso uma regra na sua vida: não assista pornografia, não importa qual seja a razão. Resista às ilusões e sugestões na mídia, e lembre-se de que estão tentando empurrar essa imagem de “liberdade” ao trazerem a pornografia para dentro da cultura mainstream, inconscientes de que a pornografia e a masturbação compulsiva destroem relacionamentos e o sentimento de bem-estar para um grande número de homens e para algumas mulheres.

Lembre-se que a primeira olhadinha ou visita não vai provocar nenhum efeito sobre você. Você não vai ter nenhum sintoma de abstinência para aliviar, e isso vai fazer com que você se sinta péssimo. O que isso fará é provocar o prazer do influxo de dopamina sobre sua mente e o seu cérebro, e uma pequena voz no fundo lá no fundo vai começar a te dizer que você quer dar mais uma olhadinha. E então você tem a chance de sentir-se péssimo por um certo período, ou recomeçar a agir de forma saudável de novo.