Retorno

A guerra não é contra usuários, mas sim contra a armadilha da indústria pornô, e eu luto nessa guerra pelo simples fato de que eu gosto dessa luta. Toda vez que eu ouço a respeito de um usuário escapando dessa prisão eu tenho um grande sentimento de prazer. Mas esse prazer não se dá sem uma dose considerável de frustração, causada principalmente por duas categorias de usuários de pornografia. A despeito das advertências no capítulo anterior, eu fico surpreso com o número de pessoas que acha fácil parar mas que mais tarde voltam a cair no vício e percebem que não conseguem parar de novo.

É como encontrar alguém que está imerso até o pescoço em areia um pântano e prestes a afundarem a cabeça. Você ajuda essa pessoa a sair dessa situação e ela demonstra gratidão, mas seis meses depois ela mergulha de volta no pântano. Usuários que acham fácil parar e então retomam o hábito representam um problema especial. Portanto, quando você se libertar, POR FAVOR NÃO COMETA O MESMO ERRO. Eles acreditam que as pessoas retomam o hábito porque ainda estão viciadas e sentindo falta da dopamina. Eles acham tão fácil parar que eles perdem o medo da pornografia. Eles pensam, “se eu puder ter só uma sessão, e até mesmo se eu voltar a me viciar, eu vou achar fácil parar.

Infelizmente eu temo que não funcione desta forma. É fácil parar de assistir pornografia, mas é impossível controlar o vício. O essencial para parar de assistir pornografia é não usar.

A outra categoria de usuários frustrantes são aqueles que estão muito apavorados para tentar parar ou, quando eles o fazem, acham o processo muito difícil. A maior parte das dificuldades parecem ser as seguintes:

  1. Medo de fracasso Não há nenhuma vergonha no fracasso, mas nem ao menos tentar é estupidez. Veja a situação da seguinte forma: você está fugindo de um nada. A pior coisa que pode acontecer é você falhar, e nesse caso você não estaria em uma situação pior do que a em que você já está. Apenas imagine o quão maravilhoso seria sair vitorioso dessa. Se você nem ao menos tentar, você já terá garantido o fracasso.

  2. Medo de sofrer e de se sentir mal Não se preocupe com isso, apenas pense: que tipo de coisa terrível poderia acontecer com você se você nunca mais assistisse pornô? Absolutamente nada. Coisas terríveis acontecerão se você o fizer. Releia as notas sobre a aposta de Pascal. Em todo caso, o pânico é causado pela dopamina e logo irá embora. A maior vantagem é ver-se livre deste medo. Você realmente acredita que usuários estão preparados para ter uma performance sexual desagradável e ereções inconsistentes, ou o prazer ilusório que eles tiram da pornografia? Se você se vê ficando ansioso, respirações profundas podem ajudá-lo. Se você está com outras pessoas e elas estão te puxando pra baixo, distancie-se delas e vá para a garagem, pro escritório ou algo assim.

    Se você se sente com vontade de chorar, não se sinta envergonhado. Chorar é o modo como a natureza alivia tensões. Ninguém nunca deu uma boa chorada sem se sentir melhor depois. Uma das coisas terríveis que nós fazemos com rapazes jovens é condicioná-los a não chorar. Você pode vê-los tentando lutar com as lágrimas, mas preste atenção na forma como o maxilar se tensiona. Nós nos ensinamos a não demonstrar emoções, mas nós não somos efeitos pra represá-las dentro da gente. Grite, berre ou faça uma pirraça. Chute alguma coisa. Tome sua luta como uma partida de boxe que você não pode se permitir perder. Ninguém pode parar o tempo. A cada momento que passa o pequeno monstro dentro de você está morrendo. Alegre-se diante da sua vitória inevitável.

  3. Não seguir instruções Incrivelmente, alguns usuários dizem que esse método não funcionou pra eles. Eles então descrevem como eles ignoraram não apenas uma instrução mas praticamente todas elas. Para maior clareza, elas estão resumidas no formato de lista no fim deste capítulo.

  4. Entendo as instruções de forma errada Os maiores problemas parecem serem estes:
    • Eu não consigo para de pensar sobre pornografia.” É claro que você não consegue, e se você tentar você vai acabar criando uma fobia e vai se sentir horrível. É que nem tentar dormir à noite: quanto mais se tenta, mais difícil se torna. Não importa se você pensa em pornografia durante noventa por cento da sua vida. O que importa é como você está pensando nela. Se você estiver pensando “Ah, eu adoraria assistir pornografia agora” ou “quando será que eu estarei livre?” então você vai se sentir péssimo. Se, em vez disso, você pensar “Estou livre!!!!!!!” você se sentirá feliz.

    • Quando é que o pequeno monstro vai morrer?” A descarga de dopamina provocada pela pornografia sai do seu corpo bem rápido, mas é impossível dizer ao certo quando é que seu corpo cessará de sofrer da sutil sensação física da abstinência de dopamina, esse sentimento vazio, inseguro, semelhante a uma fome normal, ou à depressão, ou ao estresse. Tudo o que a pornografia faz é amplificar essa sensação. É por isso que usuários que param de usar através do método da força de vontade nunca têm total certeza se conseguiram se desfazer do vício, até mesmo depois de o corpo deles ter parado de sofrer pela abstinência de dopamina. Quando sofrem de uma fome ou de um estresse normal, o cérebro deles ainda sinaliza para eles que esse é um motivo válido para se permitirem uma visita a um site pornô. O fato é que você não tem que esperar até que a fissura vá embora. Ela é tão sutil que nós nem sabemos quando ela está lá. Nós só sabemos que é um sentimento de querer, de desejar. Quando você sai do dentista você espera até que o seu maxilar pare de incomodar antes de começar a fazer as suas coisas? Claro que não! Você segue com a vida. Mesmo que o seu maxilar esteja te incomodando, você está de certo modo aliviado.

    Não espere os sintomas de abstinência irem embora porque se o fizer você estará se mantendo em constante estado de dúvida, indagando-se, “por quanto tempo isso vai se prolongar? Será que eu estou livre mesmo se eu não me sentir nem um pouco diferente?” O medo é a própria fissura. Portanto, esperar para que a vida melhore depois de largar o vício só criará dúvida. A abstinência é imperceptível a menos que você a tema, e as melhoras exponenciais a serem produzidas sobre os nosso sistema nervoso se manifestam lentamente, então se você esperar até que se sinta diferente, você vai se sentir como se nada estivesse acontecendo, o que só serve para criar dúvida.
  5. Esperar pela “hora da revelação” Se você ficar esperando pelo tal momento, você só vai causar uma nova fobia. Uma vez eu parei através do método da força de vontade por três semanas. Ao conversar com um amigo ele me perguntou como é que estava me sentindo.

    Eu sobrevivi por três semanas”, respondi a ele.

    Ele perguntou, “O que você quer dizer com que sobreviveu por três semanas?” Eu esclareci, “Eu me abstive de pornografia por três semanas.” Ele disse, “O que é que você vai fazer? Sobreviver pelo resto da sua vida? Pelo quê que você tá esperando? Você conseguiu. Você já não é mais um usuário.” Eu pensei, “ele está absolutamente certo. Pelo que é que eu estou esperando?” Infelizmente, devido a uma falta de compreensão sobre a armadilha, eu logo me vi retomando o vício, mas o que ele falou fez sentido. Você se torna um não-usuário no momento em que fecha o navegador. O importante é ser um não-usuário feliz desde o começo.

  6. Eu continuo ansiando por pornografia.” Então você deve ser muito burro. Como você pode afirmar que quer ser um não usuário e então dizer que quer assistir pornografia? Isso é uma contradição. Se você diz que quer assistir pornografia, então você afirma que quer ser um usuário. Não-usuários não querem visitar aqueles sites nojentos. Você já sabe o que você quer ser, então pare de punir a si mesmo.

  7. Eu decidi me afastar da vida mundana.” Por quê? Tudo o que você tem que fazer é parar de ficar se torturando e começar a fazer o que te energiza no lugar disso. Você não precisa parar de viver. É simples. Pelos próximos dias você vai sentir um pequeno distúrbio na sua vida. Seu corpo irá sofrer uma agravação quase imperceptível oriunda da abstinência de dopamina. Agora, mantenha isso em mente: você não está de forma alguma pior do que estava antes. Isso é o que você tem sofrido ao longo da sua vida toda, em todos os momentos em que você esteve dormindo, na igreja, no supermercado ou na biblioteca. Isso não pareceu te incomodar quando você era um usuário e se você não parar você continuará sofrendo esse desconforto pelo que restar da sua vida.

    Pornografia e orgasmos não criam ocasiões, elas te privam de ocasiões. Até mesmo quando seu corpo está no anseio por dopamina, refeições e socialização continuam sendo coisas maravilhosas. A vida é maravilhosa. Vá para ambientes onde você possa socializar, mesmo se houver dançarinas nuas lá. Lembre-se de que você não está sendo privado de nada. Todas os usuários adorariam estar no seu lugar, se eles ao menos soubessem. Alegre-se em ser o centro das atenções. Parar de assistir pornografia é um ótimo tópico para uma conversa, e você vai poder aproveitar um tipo de prazer que os usuários não conhecem. Seus amigos e pares irão se sentir surpresos ao ver que você, anteriormente tímido e com um semblante cansado, agora está feliz e contente. Você vai aproveitar a vida desde o início do processo. Não há necessidade de sentir inveja dos “pegadores” nas festas. Eles sentiriam inveja de você – se eles soubessem.

  8. Eu me sinto terrível e irritadiço.” Isso é um sintoma de fracasso em seguir instruções. Descubra qual é a instrução que você não está seguindo. Algumas pessoas entendem e acreditam em tudo o que está escrito, mas ainda assim começam com um sentimento de tristeza e desespero, como se algo terrível estivesse acontecendo. Você não só está fazendo o que gostaria de fazer, mas também o que todo outro usuário no planeta gostaria de fazer também. Seja qual for o método usado para parar, o ex-usuário está tentando alcançar uma certa atitude mental, então todo pensamento relacionado à pornografia é pontuado por um “Estou LIVRE!” Se esse é o seu objetivo, por que esperar? Comece já com essa atitude mental e nunca abra mão dela. Não há alternativa.

  9. Eu tive uma boa semana / um bom mês / um bom semestre mas eu voltei a cair na armadilha.” Lembre-se: o medo é a própria fissura. Ceder à fissura só aumenta o medo, alimentando o monstrinho enfraquecido e tendo êxito em assustar o não-usuário de modo a fazê-lo acreditar que eles continuarão viciados por toda a vida. Na verdade, a conceitualização da lavagem cerebral não mudou, mas eles deram dopamina a esse tipo de pensamento. Esse é um tipo de erro com o qual se pode aprender, mas continua sendo uma forma de falhar em seguir as instruções. Entenda qual é a instrução em questão e regozije:

A Lista

  1. Faça um voto solene de que você nunca mais irá visitar seu harém virtual OU ficar olhando imagens estáticas OU dar-se por satisfeito com representações eróticas gráficas OU qualquer coisa que seja hiperestimulante, e mantenha-se fiel ao seu voto.
  2. Deixe o seguinte claro na sua cabeça: Não há absolutamente nada a se perder. Isso não quer dizer que você vai ficar melhor sem pornografia (que você vai já é algo óbvio pra você), nem que, apesar de não haver nenhum motivo racional para assistir pornografia, você não tira nenhum prazer nesse ato (pois caso contrário você não assistiria). O que isso quer dizer é que não há nenhum prazer ou suporte verdadeiro na pornografia. É só uma ilusão, tal como ficar batendo com a cabeça na parede para se sentir bem quando você parar.
  3. Não existe essa coisa de um viciado em pornografia “oficial”. Você é só um dos centenas de milhares de indivíduos que caíram nessa sutil armadilha. Como os milhões de outros ex-usuários que certa vez acreditaram serem incapazes de escapar desse vício, você escapou.
  4. Se em um dado momento da sua vida você vir a pesar os prós e contras de assistir pornografia, a conclusão clara sempre será “pare de assistir pornografia. Que idiotice!” Nada nunca mudará isso. Sempre foi dessa forma e assim continuará sendo. Ao tomar essa decisão que você sabe que é a correta, não fique se torturando com a dúvida. A Aposta de Pascal se aplica perfeitamente ao vício em pornografia, com nenhuma chance de perder, altas chances de sucesso, e altas chances de evitar perdas.
  5. Não tente não pensar em pornografia, nem se preocupe de estar pensando em pornografia constantemente. Sempre que você pensar sobre isso, seja hoje, seja amanhã, ou pelo resto da sua vida, pense: “Estou LIVRE!”
  6. Não use nenhuma forma de substituto. Não mantenha o seu notebook perto de você enquanto você dorme. Não evite peças de teatro, filmes ou revistas. Não mude seu estilo de vida de forma alguma só porque você parou de assistir pornografia. Se você seguir essas instruções, você logo terá o ‘momento da revelação’, porém:
  7. Não espere pela chegada do ‘momento da revelação’. Apenas siga com a sua vida, aproveitando os pontos altos e lidando com os baixos. Você logo perceberá que o tal momento chegará.